top of page

O que é e Qual a Necessidade da Formação Política?

Atualizado: 2 de nov. de 2023

União da Juventude Comunista(UJC) - São José dos Campos

 

Introdução


Com base no Sistema Nacional de Formação Política, de 2021, o presente documento pretende ser uma breve explicação com relação ao que é, quais as necessidades da formação política, qual a relação com o leninismo e as teses da UJC, especialmente do IX Congresso.


Como um partido leninista que se constrói como a vanguarda do proletariado, além da organização das massas devemos trabalhar pelo avanço formativo a fim de formar quadros cada vez mais representativos e capazes de liderar o processo revolucionário, desde o início da aproximação com a UJC, conforme as teses:


"22. O processo de recrutamento deve ser realizado combinando a formação política e a delegação de tarefas práticas e organizativas aos aproximados." (...) (TESES)

A formação serve justamente para tornar nossos quadros, nossos camaradas, melhores representantes e servidores da classe trabalhadora, na construção da vanguarda do proletariado.


"Nesta vanguarda que nós criamos, esse instrumento que fizemos para construir a independência da nossa terra, como um homem constrói uma casa, tem que ser cada dia mais fino, mais afiado, mais perfeito e o nosso povo tem que fazê-lo cada dia mais bonito." (AMÍLCAR CABRAL).

O que é Formação Política?


Formação política é a ferramenta do partido, especialmente da UJC, para tornar nossos quadros mais capazes de enfrentar a luta e organizar a juventude rumo ao socialismo. Através do debate teórico e sobre a prática, nossa organização avança teoricamente e se constrói com mais especialização e profissionalização nas suas fileiras.


"As divergências de opinião entre partidos políticos e no seu interior são em geral resolvidas pelo próprio correr da vida política e pelos debates teóricos. Em especial, sob a pressão dos acontecimentos, que desmentem os raciocínios errados e os privam da sua razão de ser, lhes retiram toda a actualidade, aqueles que defendiam essas opiniões passam a formas de luta válidas, e os desacordos sobre a táctica do Partido, isto é, sobre o seu comportamento político, são resolvidos na prática. Daqui não se segue, naturalmente, que as divergências de princípio nas questões de táctica não exijam clarificações de princípio, as únicas que podem manter o Partido à altura das suas convicções teóricas. Segue-se apenas que é necessário, tantas vezes quantas possível, submeter as decisões tácticas à contraprova dos novos acontecimentos políticos. Essa contraprova é necessária, tanto do ponto de vista da teoria como do da prática: da teoria, para nos convencermos pelos factos da justeza das resoluções adoptadas e darmo-nos conta das modificações que é preciso introduzir-lhes, em resultado dos novos acontecimentos políticos surgidos; da prática, para aprendermos a inspirar-nos verdadeiramente nessas resoluções, a vê-las como directivas destinadas a uma aplicação imediata e efectiva." (LÊNIN).

Importante destacar, que a formação política não se trata de debate acadêmico nem de marxologia. A formação política se trata diretamente do desenvolvimento da práxis. Mais vale camaradas que compreendem a utilização prática da teoria, por menor que seja seu conhecimento teórico, do que camaradas que saibam debater longamente a teoria mas pouco compreendem sua aplicação.


Formação Política e Leninismo


A formação política está em dialética com o movimento da luta. Então, conforme o próprio Lênin, não há prática dissociada da teoria, nem teoria dissociada da prática. Fora isso, há academicismo e espontaneísmo, que não contribuem pro movimento político real, ou ainda pelo mesmo Lênin, “não há revolução”.


"Muitos que leram livros marxistas tornaram-se renegados da revolução, enquanto trabalhadores analfabetos frequentemente entendem muito bem o marxismo. É claro que devemos estudar livros marxistas, mas este estudo deve ser integrado às condições reais de nosso país. Precisamos de livros, mas precisamos superar a adoração de livros, quando é divorciada da situação real." (MAO ZEDONG)

Devemos atuar no movimento das massas, em especial da juventude, em prol de organizá-las e radicalizá-las, e para isso nós precisamos também compreender as condições objetivas e subjetivas da realidade vivida por essas pessoas, captando o movimento em torno da organização profissional desse movimento, e obviamente que sem um tom professoral da coisa.


Numa intervenção crítica do camarada Samuel Dutra no V Congresso do PCB, ele explicita bem isso:


"São muitos os dirigentes que se encontram ainda com a ideologia pequeno-burguesa. Não chegando ainda ao nível do Partido, que é o nível da classe operária. Acredito em todos os companheiros que estão no Partido dando sua colaboração em defesa dos princípios do Partido, mas nunca perco de vista a ideologia proletária, que muito pouco se manifesta numa grande parte de dirigentes do Partido." (SAMUEL DUTRA).

Sendo assim, devemos ter uma enorme paciência para que acima de tudo possamos compartilhar da experiência e de nossas ideias a fim de construir o partido revolucionário.


Das Resoluções do IX Congresso da UJC (IXCONUJC)


Das resoluções congressuais, entendemos que é tarefa da militância a formação política, no sentido não só de passivamente aguardar a formação teórica, mas também de ativamente buscar a formação leninista no âmbito cotidiano como algo corriqueiro, vejamos:


69. É também tarefa dos militantes buscar formar-se por meio da literatura revolucionária, não contentando-se apenas com os estudos ofertados pela UJC no âmbito da formação política. O consumo de literatura marxista deve se tornar, em toda a UJC, um hábito. É fundamental que os núcleos sejam também espaços de discussão nos quais a literatura possa ser difundida informal e organicamente entre seus militantes.

A discussão teórica deve estar no seio da construção da nossa ferramenta de luta, o partido e sua juventude. Devem os e as militantes compreender profundamente a sua realidade local, a fim de intervir em prol de sua mudança. A construção do socialismo não se dá somente pelo seu nome e uma percepção abstrata do que é socialismo, e sim na construção prática promovida pelo partido.


72. É tarefa dos militantes formular a sua realidade local e compartilhar materiais formativos com a base de independentes. Os acúmulos da organização devem contribuir para o amadurecimento político de sua área de inserção como um todo, em um processo de massificação da linha da UJC.

Acima de tudo, devemos estimular grupos sociais minoritários à formação política orgânica, na construção de quadros cada vez mais representantes e que instiguem o debate interno e frequente sobre suas questões, a fim de então aprofundarmos a linha da organização como um todo nessa frente. Nossa organização deve estar preparada para organizar o povo trabalhador mais oprimido para a Revolução Brasileira, compreendendo as divergências existentes entre a classe.


76. A UJC deverá desenvolver por meio das Secretarias de formação e organização, a construção de uma política de formação e elevação de quadros mulheres, negros e negras, indígenas e LGBT.[...]

E por fim, a reflexão de Marta Harnecker sobre a construção partidária, esta que devemos compreender no plano da consolidação da luta muito mais que em uma relação de números, ou seja, é muito mais fidedigno as ruas do que números de grandeza. Ou seja, muito mais do que dizer o estágio do qual nosso partido se encontra, é demonstrar isso verdadeiramente.


5. Mais importante do que criar um poderoso partido com grande número de militantes é construir um projeto político que reflita as aspirações mais sentidas do povo e, por isso mesmo, conquiste sua mente e seu coração. O importante é que sua política seja respaldada pelas massas, que busque o consenso na maioria da sociedade.

6. Há partidos que se vangloriam do grande número de militantes que têm, mas, de fato, apenas conduzem seus filiados. O importante não é, então, que o partido seja grande ou pequeno, o que interessa é que a maioria das pessoas se sinta identificada com as propostas. (MARTA HARNECKER)

fonte: UJC de São José dos Campos (PCB-RR)

 

Referências:


Resoluções do IX Congresso da União da Juventude Comunista, 2023.










 

Comments


bottom of page